Vinho, mulheres e poesia

Doce quando em companhia provo do vinho bom
Beijando tão belas damas, mais doce é o dom
Dulcíssimo se Virgílio dá-me a inspiração
Se todos três eu consigo, de trono eu abro mão

Baco incita em meu peito de Vênus tal amor
Vênus logo traz de Febo poético furor
Imortal Febo me inspira a belos versos compor
Ai de mim se esta trindade já infiel me for

Tirano tira-me o vinho, eu até desistiria
Não ame mais as suas damas! Doente eu não amaria
Abandone a sua poesia! Negar eu insistiria
Desista da arte ou pereça! Eu logo expiraria…


Livremente traduzido e adaptado de poema anônimo medieval.

Um comentário em “Vinho, mulheres e poesia

  1. Pingback: Sob o signo de Pã

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s