Caminhando em gelo fino

Caminhando em gelo fino,
jogando com o destino;
seria só um desatino
sentir-me como um menino
que não sabe onde pisar?

O que será que eu procuro
logo ali depois do muro?
Nada espero do futuro;
quero meu porto seguro
no momento de voltar.

Já que a vida é coisa breve,
deixe que o vento nos leve,
até lá, onde se atreve
a coragem de quem deve
a vida saborear.

Que tenhamos no caminho
corações sempre em alinho,
beijos, amores e vinho;
só não me deixes sozinho
onde eu não possa te achar.