Como duvidas que és especial?

Como duvidas que és especial?
Somos duas vidas unidas até
o fim dos tempos, eterna maré,
para nós não há juízo final.

Estamos além do bem e do mal.
Só tu tens minha devoção e fé,
eu sou um deus em ti, minha mulher,
eu sou teu homem, tu és minha igual.

Sou imortal imerso em tua beleza
na eternidade um minuto depois,
no instante onde não existe incerteza.

Invencíveis, nunca duvides, pois
somos deuses, forças da natureza,
um universo reside em nós dois.

Admira, mulher, que breve momento

Admira, mulher, que breve momento
como o sol em pleno inverno a se pôr:
é bonito, mas assim que se for,
restará o frio e o tão gélido vento.

Nenhuma súplica, nenhum invento,
nenhuma lágrima irá evitar,
qual a chuva que despenca do ar,
nada impedirá esse movimento.

A noite descerá como uma manta
e parecerá jamais ter um fim,
teu desespero de nada adianta.

Mas verás que o sol se levanta ainda:
tanto para ti quanto para mim,
mesmo a mais fria das noites também finda.

Pensaste tu que foste especial?

Pensaste tu que foste especial?
Talvez tenhas sido, por algum tempo;
entende que assim é meu sentimento:
um encanto frágil como um cristal.

Não acredites que sou um igual,
eu sou uma força, qual fogo ou vento;
homens têm com teu corpo um contento,
não me satisfaz algo tão banal.

Eu tenho tua alma, teu coração,
eu não caibo aqui, não sou um dos teus,
aceito não menos que devoção.

Qualquer falta tua trará um adeus
e não mudará a tua condição:
eu não sou teu homem, eu sou teu deus.